Últimas Notícias

Robôs origamis do MIT podem realizar cirurgias de dentro do corpo humano


Robô minúsculo seria engolido com uma cápsula e depois, uma vez dentro do estômago do paciente, se desdobraria para reparar um ferimento

Pode soar ficção científica, mas pesquisadores construíram um robô minúsculo e flexível que pode um dia operar pessoas de dentro dos seus próprios corpos.
O robô seria engolido com uma cápsula e depois, uma vez dentro do estômago do paciente, se desdobraria e se rastejaria através do estômago para reparar um ferimento ou remover algo que não deveria ter sido ingerido, como um botão.
“É realmente animador ver nossos pequenos robôs origamis fazendo importantes aplicações potenciais na área de saúde”, disse Daniela Rus, professora do MIT que também dirige o Laboratório de Ciência da Computação e Inteligência Artificial, em comunicado.
“Para aplicações dentro do corpo, nós precisamos de um pequeno sistema robótico controlável e que não esteja atrelado a uma espécie de corrente. É realmente difícil controlar e colocar um robô dentro do corpo humano se o robô estiver nessas condições”.
Até então, o robô foi testado em um estômago sintético, feito de borracha de silicone e baseado na mecânica do estômago e esôfago de um porco.
Por vários anos, robôs têm sido usados em salas de cirurgia para auxiliar cirurgias. Mas essa é a primeira vez que pesquisadores chegaram o mais próximo de construir um robô que poderia trabalhar de dentro de um corpo humano.
A pesquisa está sendo feita por um grupo de cientistas do MIT, da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, e do Instituto de Tecnologia de Tóquio.
O MIT reportou que o robô se movimenta sozinho sobre a superfície do estômago no que eles chamaram de movimento “deslizamento de vara”.
Isso significa que os apêndices do robô são feitos para se manterem na superfície usando fricção, mas depois eles se deslizam livremente quando o corpo flexiona para fazer outro movimento. Mas esta não é a única forma da qual o robô se movimenta.
O MIT observa que desde que o estômago humano é repleto de líquidos, 20% do movimento do robô para frente se daria por água ou impulsão.
Uma vez no estômago, o robô não precisa trabalhar para achar a saída da cápsula engolida, uma vez que esta foi projetada para se dissolver automaticamente, liberando o robô.
O robô, em formato retangular, foi desenhado com dobras parecidas com a do acordeão, com um imã em uma das dobras que responde a campos magnéticos fora do corpo. Usando o imã, médicos poderiam manipular o movimento do robô, movendo-o onde ele precisa ir. 
Então do que o robô é feito? Do mesmo material do intestino do porco que envolve salsichas, segundo o MIT.
"Nós dedicamos muito do tempo em mercados asiáticos e na Chinatown buscando por esses materiais", disse Shuguang Li, estudante de Pós Doutorado do MIT que trabalha no projeto.  


Fonte: IDGNOW!


Nenhum comentário