Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2011

Software Livre no contexto do “Plano Brasil Maior”

Por Marlei Grolli, Coordenadora Geral da Associação Software Livre de Santa Catarina Foi anunciado na semana passada o Plano Brasil Maior, com o lema: “Inovar para competir, competir para crescer”. O plano prevê incentivos fiscais para as empresas nacionais que agregarem valor aos produtos e investirem em pesquisa e inovação. Entre os segmentos contemplados, está o de software. A grande vantagem do software livre é que, ao disponibilizar o código fonte dos sistemas, oferece as condições ideais para agregar conhecimento e inovação. Dizendo de outra maneira, como não é necessário “reinventar a roda” a cada novo sistema, pode-se agregar novos conhecimentos para melhorar sistemas existentes. O setor público deveria ser o maior incentivador do uso e desenvolvimento de Software livre, pois os recursos investidos pelos governos retornam para o público, na geração de empregos locais, distribuição de renda e melhoria no desempenho d

Serpro apresenta experiências de inovação no Senado

O diretor-presidente, Marcos Mazoni, participou da Jornada pela Inovação da Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) do Senado Federal na manhã da quarta-feira, 10 de agosto. A participação decrescente da produção nacional na indústria de tecnologias da informação e de telecomunicações preocupa a administração pública federal. O mercado interno é basicamente dominado por multinacionais e as empresas da casa ocupam pequenos nichos. "Isso dificulta o desenvolvimento de novos conhecimentos", explicou a economista do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), Fernanda de Negri. Nas últimas décadas, o percentual de participação das TICs no valor adicionado da produção industrial caiu de 60% para 30%. Na área das tecnologias móveis, as empresas brasileiras atuam quase que exclusivamente na vertente de montagem de celulares, especialização que demonstra a perda de espaço nas atividades que agregam mai

"Computação em nuvem e software livre fazem casamento perfeito"

Imagem
O palestrante internacional, Jinesh Varia, da Amazon.com, incentiva desenvolvedores e empresas a apostarem na interação entre a plataforma aberta e o ecossistema das nuvens. Nesta quinta-feira, 28, o indiano Jinesh Varia, divulgador de tecnologias da Amazon Web Services, subsidiária da Amazon.com, falou da experiência no uso de recursos avançados de cloud computing e softwares livres pela Amazon, uma das empresas pioneiras neste quesito. "Dados são como tsunamis que cada vez mais aumentam. Por isso, precisamos aprimorar a utilização da computação em nuvem", enfatizou Jinesh, na palestra realizada no Serpro, em São Paulo. "A cloud computing é a base para a arquitetura tecnológica do século XXI", acrescentou ele. Para estimular o diálogo sobre o tema, Jinesh fez uma analogia: "antigamente, essa fábrica precisava ter seu próprio gerador para funcionar, pois não existia uma distribuição de energia co

Governo vai convidar hackers para ajudar na criação de portal

O Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) planeja lançar no início do ano que vem um portal para facilitar o acesso a informações sobre sua própria gestão, como a distribuição de gastos. O fluxo de dados será alimentado por um sistema, batizado de Plataforma Aquarius, para o qual o MCT quer a ajuda dos chamados "hackers éticos" - pessoas com grande habilidade na área de programação, mas que não usam esse conhecimento para invadir redes ou sistemas. Em vez disso, ajudam na prevenção de crimes digitais. "Vamos formalizar um convite para ajudar no desenvolvimento da ferramenta", disse o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, ontem, durante um encontro com hackers em São Paulo. A proposta é que o portal seja baseado em softwares de código aberto - programas que podem ser modificados por qualquer programador. O princípio do software livre é que as mudanças feitas no código sejam

Imposto Territorial Rural tem melhorias em 2011

Desenvolvido pelo Serpro desde a década de 90, o programa para declaração do Imposto Territorial Rural, ITR2011, tem novidades que facilitam a vida do usuário. A expectativa para 2011 é de cerca de 5,6 milhões de declarações entregues. Este ano foi o primeiro em que a Receita Federal do Brasil (RFB) parou de receber declarações do IRPF em papel . Daqui a alguns anos, é possível que o mesmo aconteça com o Imposto Territorial Rural, o ITR, pois, segundo a RFB, no ano passado, o programa já teria atingindo 98,9% das 5.455.892 declarações recebidas. A título de comparação, em 2003, o percentual de declarações enviadas através do Programa Gerador de Declaração (PGD) era de 86,5%. Ano após ano, desde a década de 90, o Serpro vem aprimorando a ferramenta, tornando seu uso mais fácil. Na versão 2011 do ITR, algumas aplicações do ciclo como "Consulta Declarações ITR", "Aplicativo de Acerto de Declarações", "L

Linux Magazine Online - Chegou o Mandriva 2011

Linux Magazine Online - Chegou o Mandriva 2011