Últimas Notícias

Ele está chegando! Asteróide 2005 YU55

O asteroide 2005 YU55, com 400 metros de largura, irá passar junto à Terra no dia 8 de novembro, não representando qualquer risco para o planeta, refere a notícia divulgada pela NASA .

A trajetória do 2005 YU55 será a mais próxima à Terra dos últimos 200 anos, apesar da órbita do asteroide o trazer várias vezes às proximidades do nosso planeta, de Marte e de Vénus. A uma distância de 325 mil quilómetros, o 2005 YU55 estará mais próximo da Terra do que a própria Lua.

A última vez que um asteroide desta dimensão se aproximou do nosso planeta foi em 1976 e prevê-se que a passagem de outro de semelhante envergadura ocorra apenas em 2028.

Cientistas aproveitam para estudar o 'visitante'


Os cientistas da NASA vão aproveitar a passagem do asteroide 2005 YU55 pela Terra para seguir de perto a sua trajetória e obter imagens que permitam estudar a sua superfície, forma, dimensão e características várias.

A observação da agência espacial norte-americana terá início na próxima sexta-feira, durante duas horas, através da utilização de uma antena de 70 metros, localizada nas instalações da NASA na Califórnia (Deep Space Network - Goldstone). A observação deverá continuar entre os dias 6 e 10, durante pelo menos quatro horas por dia.


O asteroide também será analisado pelo radar do Observatório de Arecibo, em Porto Rico.


Todos os astrónomos amadores que pretendam ver o asteroide poderão fazê-lo através de um telescópio com uma abertura de pelo menos 15 centímetros, refere a NASA.

Os cientistas da NASA vão monitorar o Asteróide 2005 YU55 com antenas de redes da agência Deep Space em Goldstone, Califórnia. A rocha espacial passará de forma segura pela Terra estando um pouco mais perto do que a órbita da lua em 08 de novembro. Os cientistas estão realizando um sobrevôo ao redor dos 400 metros de largura do asteróide como um alvo de oportunidade para a ciência - permitindo que os instrumentos em "Terra e espaçonave" para digitalizá-lo durante a passagem de perto.O rastreamento da aeronave "transportadora" do asteróide começará as 9h30 hora local (PDT) em 04 de novembro, usando uma antena maciça 70 metros (230 pés)  de rede Deep Space, e durará cerca de duas horas. O asteróide vai continuar a ser rastreado por Goldstone por pelo menos quatro horas por dia a partir de 06 de novembro através de 10 de novembro de 2011. Observações de radar serão feitas pelo Observatório de Arecibo através do Planetário situado em Porto Rico e terá início em 08 de novembro, no mesmo dia que o asteróide fará sua maior aproximação à Terra às 3:28 pm PST.A trajetória do asteróide 2005 YU55 é bem compreendida. No ponto de maior aproximação, que não será mais perto do que 201.700 milhas (324.600 km) ou 0,85 da distância da Lua à Terra. A influência gravitacional do asteróide não terá nenhum efeito detectável em qualquer coisa aqui na Terra, incluindo as marés do nosso planeta ou placas tectônicas. Embora 2005 YU55 está em uma órbita que regularmente traz para a vizinhança da Terra (e Vênus e Marte), o encontro de 2011, com a Terra é o mais próximo que esta rocha espacial tem vindo, pelo menos nos últimos 200 anos.Durante rastreamento, os cientistas vão usar o Goldstone e antenas  em Arecibo para saltar ondas de rádio de rock fora do espaço. Ecos de radar que voltar a partir de 2005 YU55 serão coletados e analisados. Os cientistas da NASA esperam obter imagens do asteróide de Goldstone tão "fina" como cerca de 7 pés (2 metros) por pixel. Isso deve revelar uma riqueza de detalhes sobre as características de superfície do asteróide, forma, dimensões e outras propriedades físicas (ver "Radar Love" - ​​http://www.jpl.nasa.gov/news/news.cfm?release=2006-00a ).Observações de radar do asteróide 2005 Arecibo YU55 feitas em 2010 mostram que sua forma é aproximadamente esférica. É lentamente girando, com um período de rotação de cerca de 18 horas. Superfície do asteróide é mais escura que carvão em comprimentos de onda ópticos. Astrônomos amadores que querem começar um vislumbre de YU55 vai precisar de um telescópio com uma abertura de 6 polegadas (15 centímetros) ou maior.


A última vez que uma rocha espacial tão grande chegou tão perto da Terra foi em 1976, embora os astrônomos não sabiam sobre o sobrevôo no momento. A próxima abordagem conhecida de um asteróide desse tamanho será em 2028.NASA detecta, faixas e caracteriza asteróides e cometas que passam perto da Terra usando tanto em terra e telescópios espaciais. A Near-Earth Object Programa de Observações, comumente chamados de "Spaceguard", descobre esses objetos, caracteriza um subconjunto deles, e parcelas de suas órbitas para determinar se algum poderia ser potencialmente perigosos para o nosso planeta.

Fonte:
Laboratório de Propulsão a Jato da NASA gere a Near-Earth Object para Escritório do Programa de Missões Científicas da NASA em Washington Direcção. JPL é uma divisão do Instituto de Tecnologia da Califórnia em Pasadena e Portal Expresso de Portugal.

Mais informações sobre asteróides e objetos próximos da Terra está em: http://www.jpl.nasa.gov/asteroidwatch.Mais informações sobre a pesquisa de radar asteróide está em: http://echo.jpl.nasa.gov/.Mais informações sobre a Rede de Espaço Profundo está em: http://deepspace.jpl.nasa.gov/dsn.

Tradução livre por Alessandro Machado

Nenhum comentário